São inúmeros os benefícios para todos os envolvidos com a avaliação completa e atenta aos mínimos detalhes de gastos de um canteiro de obras

 

Particularidades da logística de uma obra, como o número de trabalhadores envolvidos e a quantidade de material e suprimentos que serão utilizados no canteiro, passam pelo aspecto fundamental do planejamento orçamentário dessa construção ou reforma. Afinal, a falta de dinheiro impossibilita a continuidade de uma obra e, consequentemente, sua finalização em uma data pré-determinada.

São inúmeros os benefícios para todos os envolvidos – construtora, colaboradores e cliente final – quando o orçamento da obra é feito com todo o cuidado e atenção aos mínimos detalhes, cumprindo, assim, o orçamento estipulado e o cronograma da entrega das obras, por exemplo. Por isso, é necessário prever os custos e estabelecer os valores dos serviços que serão prestados.

 

Planejar é a palavra-chave

É possível identificar os mais corriqueiros imprevistos que podem ocorrer no canteiro de obras com um planejamento atento e bem estudado. Não é possível evitá-los totalmente, mas seus efeitos podem ser atenuados com a aplicação de algumas medidas.

O cronograma orçamentário, em paralelo ao planejamento da obra, permite um acompanhamento mais justo dos recursos e do andamento do trabalho em cada fase da execução.

É fundamental explicar que a elaboração desse planejamento orçamentário varia de acordo com o tipo de obra. Alguns projetos necessitam de maior número de equipamentos e, em outros, a mão de obra é o que atenderá a demanda do trabalho em grande parte.

O orçamento específico dos gastos relativos à execução da obra ou do serviço é chamado de Orçamento de Produção, sendo dividido, ainda, em custos diretos e custos indiretos, como é possível ver a seguir:

– Custos diretos:são aqueles que podem ser medidos diretamente em relação à atividade produzida, como o tipo de material, mão de obra (pedreiros e serventes) e equipamentos reunidos para levantar uma parede, por exemplo.

– Custos indiretos:são aqueles que não estão diretamente ligados ao serviço, mas são necessários para desenvolvimento das atividades da obra. Eles não ficam instalados propriamente no canteiro, mas estão relacionados à execução do serviço, como o salário dos funcionários que trabalham na sede da empresa, as despesas administrativas, taxas, seguros, pró-labore dos diretores, dentre outros.

 

Composição de custos unitários

Por meio de tabelas é possível compor os insumos que fazem parte diretamente da execução de algum serviço, explorando os coeficientes de utilização e os custos unitários de cada mão de obra.  Os principais itens são:

Insumo: qualquer elemento diretamente necessário em um processo de produção. São os produtos usados na fabricação (matéria-prima), o maquinário, a energia e a própria mão de obra empregada;

Coeficiente: é a quantidade do insumo utilizada para obtenção de uma unidade do serviço;

Unidade: unidade de medida do insumo, pode ser kg, m³, m², unidade, hora, entre outras;

Custo unitário: aquisição de uma unidade do insumo;

Custo total: é o custo total do insumo necessário para a realização de uma unidade de serviço. Multiplicação do coeficiente pelo custo unitário.

Dicas para evitar desperdício na obra:

– Controle de estoque;

– Organização no canteiro de obra;

– Logística;

– Qualidade na execução.

A Hidrodema oferece soluções completas em tubos, conexões e válvulas. Somos a distribuidora autorizada das melhores marcas do mercado e também oferecemos o auxílio de especialistas que podem te orientar em todo o processo da obra.